Follow by Email

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Autocarro Maudslay ,o mais bonito autocarro da Sintra-Atlântico

Com cumprimentos de Valdemar Alves ao regular visitante deste blog, P. Domingos, que relativamente ao post passado dia 5 deste mês, refere que o autocarro dessa fotografia teve uma carroçaria anterior o que corresponde completamente à verdade.
O autocarro é modelo inglês de 1951, foi recepcionado na Alfândega de Lisboa no Jardim do Tabaco a 12 de Setembro de 1952 e teve o primeiro registo em Portugal a 2 de Outubro de 1952 em nome de Eduardo Veríssimo da Costa.
A 13 de Julho de 1953 passou para o nome da Sintra-Atlântico, tendo sido atribuído o nº 21.
A sua matrícula era o AF-18-86, tinha uma lotação de 41 passageiros, tendo sido pintando em vermelho e amarelo.
Juntamente com outro Maudslay (o nº 20), eram os autocarros mais luxuosos da Companhia, sendo usados em excursões e na carreira entre as Azenhas do Mar e Lisboa.
Nestas fotos tiradas no Verão de 1963 pode-se ver este autocarro de frente e traseira, estacionado na Ribeira de Sintra.
Reparem na beleza da parte frontal.
Uma autêntica obra de arte toda a carroçaria e, então os cromados, são um espanto!
As fotos são de Andrew Johnson e são as únicas até agora conhecidas deste autocarro, com a carroçaria original.
Já foi descoberta outra que Valdemar Alves está a tentar, através de amigos, trazer para Portugal.
Em Dezembro de 1963 esta carroçaria foi destruída na Ribeira de Sintra e a 18 desse mês, somente o chassis foi pelos próprios meios até às instalações da UTIC em Cabo Ruivo, onde recebeu uma nova carroçaria que já pode ser vista na foto do referido post do dia 5.
Felizmente que houve estrangeiros que fotografaram tudo (eléctricos, autocarros, comboios, troleicarros), património que este País não pode ou não quis preservar.
A todos eles um grande agradecimento.

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Autocarro DAF da Sintra-Atlântico

















Especialmente dedicada ao regular visitante deste blog, P. Domingos, aqui está uma magnifica foto de 1963 de uma DAF estacionada na estrada para as Azenhas do Mar.
Este é o autocarro nº 17 da Sintra-Atlântico e fez parte de um conjunto de 4 autocarros desta marca holandesa que a Companhia adquiriu em 1951.
De referir que, quando a Sintra-Atlântico foi comprada em Julho de 1951 por um grupo de industriais alentejanos e passou a ter como administrador-delegado Ricardo Rebelo Capela, uma das primeiras medidas foi a compra de um conjunto de novos autocarros que tinha como fim a substituição integral dos carros eléctricos.
Esta pretensão não foi totalmente concretizada, por um lado em virtude da forte oposição das gentes de Sintra até à Praia das Maçãs e por outro lado, o enorme investimento que era necessário fazer com a compra de novos autocarros, pois segundo estudos da época, só para substituir os eléctricos no Verão, eram necessários 14 autocarros.
Assim, avançou uma proposta intermédia de os eléctricos passarem a funcionar somente nos meses de Verão, solução posta em prática a partir de 1953.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Praia das Maçãs - Verão de 1963

















Magnífica fotografia de 1963 do terminal dos carros eléctricos na Praia das Maçãs.
Fotografia tirada ao início da tarde de um domingo do Verão de 1963. Muitos eléctricos (3 carros motores e 3 atrelados) e o autocarro da Sintra-Atlântico para as Azenhas que fazia a ligação com os carros eléctricos.
Os anos 60 foram um dos períodos áureos dos eléctricos de Sintra.
Por exemplo, neste ano de 1963, funcionando de 15 de Julho a 30 de Setembro, o serviço era intensíssimo, principalmente aos domingos.
Da Estação de Sintra para a Praia das Maçãs efectuavam-se 42 circulações, com partida da primeira às 7.10 e a última às 21.32 e da Praia para Sintra efectuavam-se também 42 circulações, sendo a primeira às 7.45 e a última às 22.06 que chegava a Sintra já bem noite (às 22.53).
Mesmo com todas estas circulações os eléctricos tinham dificuldade em transportar todos os passageiros.

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Praia das Maçãs Junho de 1973

A 7 de Junho de 1973, quando ainda os carros eléctricos não estavam em funcionamento, um grupo de apaixonados ingleses veio até Sintra e alugou um carro motor com atrelado para efectuar uma viagem até à Praia das Maças, regressando depois a Sintra.
Viagem profusamente fotografada por alguns desses ingleses, do qual aqui se publica uma fotografia
Aqui está a Adega Oceano, o Búzio e, 20 anos depois do seu encerramento, ainda os carris da antiga linha para as Azenhas do Mar.Resta dizer que este grupo de apaixonados pelos nossos eléctricos não tiveram sorte com o tempo, pois nunca conseguiram ver o sol durante a sua visita.

sábado, fevereiro 17, 2007

Banzão e os carros eléctricos Parte 3

Hoje chegamos a 1938, ano em que foi inaugurada a nova estação do Banzão que todos nós conhecemos.
Mais uma das grandes obras da administração de Camilo Farinhas, possuía todas as comodidades para público e funcionários. Com dependências para recepção e despacho de mercadorias, sala de espera, escritório, bar e casas de banho.
Foi inaugurada a 14 de Agosto de 1938 e foi dado o nome de “Colares-Central”.

Banzão em Agosto de 1938.
Fotografia publicada no jornal “Diário de Lisboa” de 13 de Agosto de 1938


Banzão em 1952. O autocarro que se vê a descer a Avª do Atlântico é o nº 6 da Sintra-Atlântico, Chevrolet de 1935.



Ampliação da foto anterior com o autocarro Chevrolet e pormenor de algumas dependências do Banzão.

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Banzão e os carros eléctricos Parte 2

Neste postal de 1926 pode-se observar do lado esquerdo, à frente dos eucaliptos, o edifício da estação do Banzão e já o edifício das Caves Visconde de Salreu que domina da paisagem.
No interior deste edifício está uma das curiosidades da linha dos eléctricos de Sintra. Um pequeno ramal construído propositadamente para servir estas caves de forma a tornar mais fácil o transporte das pipas do vinho para a estação de Sintra, donde seguiam para todo o mundo.
Numa carta datada de 24 de Fevereiro de 1920, dirigida ao director da Sociedade Estoril, à época proprietária dos eléctricos de Sintra e, assinada pelo próprio Visconde de Salreu, é solicitado “o favor de mandar assentar com a possível brevidade, o troço de carris no prolongamento do desvio atraz da estação do Banzão, no eléctrico da Praia das Maçãs, do qual eu careço para serviço particular das minhas Caves em construcção no mesmo local”. Solicitava ainda que fizesse o “favor de me informar da respectiva despeza para eu satisfazer”.


Estação dos eléctricos, Caves Visconde de Salreu e Estrada para o Mucifal.
Alguém sabe alguma coisa dos outros edifícios?

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Banzão e os carros eléctricos

Nos eléctricos de Sintra, o Banzão sempre desempenhou um papel de extrema importância.
Aqui, foi construído em 1904 um edifício em madeira que se destinada a estação de despacho de mercadorias e de espera dos passageiros. Este edifício era muito parecido a nível estético com o existente no interior da estação da CP de Sintra e demolido por alturas da renovação desta estação nos primeiros anos da década de 1990. Voltarei nos próximos dias a falar do Banzão, pois há outros factos a contar
Banzão em Março de 1937. Ao fundo do lado esquerdo, o barracão da estação. Observa-se ainda uma vagoneta do transporte de mercadorias.
Uma curiosidade desta foto, é que já existia (e com uma envergadura apreciável) o pinheiro do Banzão que foi referido no post do passado dia 5.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Eléctricos pintados de Azul - Setembro de 1960

Hoje voltamos aos eléctricos com uma magnífica fotografia do terminal dos eléctricos na Praia das Maçãs, num final de tarde de Setembro de 1960.
Entre 1955 e 1962 os carros eléctricos abandonaram o tradicional amarelo e “passearam-se” em tons de azul que não foi do agrado da população e, em 1963 mudaram novamente de cor, não para o amarelo mas sim, para o vermelho.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Vista aérea da Praia das Maçãs – Anos 60


Hoje apresentamos uma fotografia publicada no Boletim da Comissão Municipal de Turismo de Sintra, em 1968, mostrando uma parte da Praia das Maçãs vista do ar.
Lá no fundo, junto à Adega Oceano lá estão os carros eléctricos, sinal que a foto foi tirada durante o Verão.

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

O “saudoso” pinheiro do Banzão


Alguém se lembra do enorme pinheiro que existiu no Banzão, mesmo em frente da estação dos carros eléctricos?
Não sei o que aconteceu ao certo, mas penso que secou.
Hoje no mesmo local, está uma amostra de árvore que nunca mais cresce ou não a deixam crescer.
Nesta foto obtida no Verão de 1965, pode-se observar um autocarro da Companhia Sintra Atlântico dirigindo-se para as Azenhas do Mar, passando precisamente em frente do pinheiro.
Observem a beleza desse pinheiro.
Obviamente não existia o edifício do banco “perfeitamente enquadrado” com o local, que aqui foi construído muitos anos mais tarde.
Para complemento, o autocarro da foto é o nº28 da frota da Sintra-Atlântico, marca “Maudslay”, de 1951.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Praia das Maçãs e as Corridas de Automóveis - 1962


Como ontem disse, os banhistas estavam a ver a prova.
É só observar esta foto, com todo o “pessoal” acompanhando, neste caso, o concorrente nº 32 conduzindo um MG.

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Praia das Maçãs e as Corridas de Automóveis - 1962


Na Praia das Maçãs também já se efectuaram, por diversas vezes, corridas de automóveis.
Aqui está um testemunho fotográfico do VII Grande Rally de Sintra que decorreu em Maio de 1962.
Na foto, está o concorrente nº 13 conduzindo um Volvo.
Apesar de ainda ser Maio, na praia já está colocada a bandeira (vermelha ou verde), pois o tom é escuro. Banhistas é que não havia.
Estavam a ver a prova. Amanhã, provo esta minha afirmação.