Follow by Email

terça-feira, maio 01, 2007

SINTRA – 1 de Maio de 1974

Há 33 anos quando se festejou pela primeira vez o 1º de Maio em liberdade, também houve comemorações em Sintra.
Aqui ficam duas fotografias de Carlos Granja do desfile que começou na Vila Velha, seguiu pela Volta do Duche, Avª Miguel Bombarda, Heliodoro Salgado, chegou onde existe actualmente aquela “coisa” a que chamam fonte monumental (?), junto ao terminal do eléctrico, subiu novamente a Avenida Heliodoro Salgado, virou para São Pedro e depois para a Avª MFA (que se chamava Frederico Ulrich) e terminou na Portela de Sintra.
Fotografias cheias de história, do único 1º de Maio onde houve autêntica união entre todos os trabalhadores. Depois…. os partidarismos falaram (e falam) mais alto.

(Texto de Valdemar Alves e fotografias de Carlos Granja, propriedade da CMS-AHS. Cópias da Colecção de Valdemar Alves).



O desfile na Avenida Miguel Bombarda. Lá estavam os carris dos eléctricos, onde nesse ano circulariam pela última vez. O autocarro que se observa era o nº 17 da Empresa de Viação Gaspar, marca “Mack”.


O desfile subindo já a Avenida Heliodoro Salgado, em frente onde é hoje a Caixa Geral de Depósitos.

domingo, abril 29, 2007

Sintra e os Caminhos de Ferro

Hoje apresentamos mais alguns documentos históricos relativos à história dos caminhos de ferro em Sintra.
Um facto relevante que no post de ontem não foi referido, ainda relativo à tracção eléctrica na Linha de Sintra, aconteceu no dia 21 de Janeiro de 1957.
Nesse dia, o comboio de passageiros para Sintra, constituído por uma composição das magníficas carruagens suíças, era rebocado pelos seus próprios meios, pela locomotiva eléctrica de fabrico francês nº 2502.
Foi a primeira vez que um comboio em serviço público chegou a Sintra movido por electricidade e não pelo vapor.
Estas magníficas carruagens entraram ao serviço em finais dos anos 40 e constituíram um avanço no conforto para os passageiros. De cor vermelha, forma com a electrificação da linha de Sintra, deslocadas para outras linhas. Pude andar nelas na Linha do Douro.

(Dados históricos fornecidos por Valdemar Alves)

21 de Janeiro de 1957. O primeiro comboio de passageiros movido a tracção eléctrica na Estação de Sintra.



Bilhetes dos anos 50 e 60 obtidos nas bilheteiras da Estação de Sintra
Documento histórico e raríssimo
Bilhete para entrar na Estação de Sintra. 22 de Agosto de 1910
Antigamente para se entrar nas Estações dos Caminhos de Ferro era necessário obter bilhete.

sábado, abril 28, 2007

28 de Abril de 2007 - 50 anos de tracção eléctrica na Linha de Sintra

Há precisamente 50 anos, no dia 28 de Abril de 1957, foi inaugurada a tracção eléctrica na linha de Sintra, 70 anos depois da sua inauguração, ocorrida a 2 de Abril de 1887.
Tal como tinha acontecido 70 anos antes, Sintra e toda a zona que ladeia a linha férrea irá conhecer um desenvolvimento extraordinário, nem sempre o mais sustentado.
Quando o relógio da estação marcava 13.07 dava entrada na estação de Sintra o primeiro comboio eléctrico, que transportava uma imensa comitiva, onde se incluía o Presidente da República, General Craveiro Lopes.
Em Sintra, todos os convidados eram aguardados pelas forças vivas da Vila, chefiadas pelo Presidente da Câmara, Dr. Moreira Baptista, tendo sido organizado um desfile entre a Estação e a Vila Velha, onde foi servido um almoço no Palácio Nacional.
Os novíssimos comboios impressionavam pela sua beleza.
Às 0 horas e 40 minutos dos dia 29 de Abril (2º feira), partiu repleto de passageiros o primeiro comboio eléctrico para Lisboa, de onde, por sua vez, partiu para Sintra, às 0 horas e 10 minutos, também completamento lotado, o comboio que iniciava o novo serviço ao público na Linha de Sintra.
À 1,35 chegou à estação de Sintra, a máquina 081 rebocando o comboio de passageiros 4.911. Foi a última locomotiva a vapor que veio a Sintra em viagem dó horário que então terminava.
Era uma página da história dos caminhos de ferro em Portugal que era virada.
De uma resistência a toda à prova, as chamadas UTE’s (Unidades Triplas Eléctricas), por serem constituídas por 3 carruagens, circularam nesta linha mais de 30 anos (até meados dos anos 90).
Quem não andou nestes comboios? Quem não sofreu no seu interior autênticos apertões, fruto dos diários excessos de lotação?
Ficam aqui estes históricos registos fotográficos.
(Texto de Valdemar Alves)











sexta-feira, abril 06, 2007

Eléctrico e Ciclistas – Setembro de 1972

Na sequência do último post, aqui está uma foto com os eléctricos e ciclistas tirada no mesmo dia da foto anterior: 3 de Setembro de 1972 e não 4 como por lapso é referido.

quarta-feira, abril 04, 2007

Ribeira de Sintra – Setembro de 1972


Durante alguns anos efectuou-se nos meses de Setembro, uma prova de ciclismo que granjeou bastante prestigio: O Grande Prémio Internacional de Sintra em ciclismo, onde correu Joaquim Agostinho e outros grandes nomes do ciclismo nacional e internacional.
Os corredores passavam na Ribeira de Sintra, subindo daqui até Sintra pela Estrada do Arraçario.
Eis mais um documento único desses tempos.
O povo anónimo, enquanto não passavam os corredores, observa a passagem do eléctrico cheio de passageiros com destino a Sintra.
Estávamos no dia 4 de Setembro de 1972.
Na edição desse ano, o vencedor foi Joaquim Agostinho que venceu outro grande nome do ciclismo: Joop Zoetmelk.

domingo, abril 01, 2007

Eléctricos na Vila Velha 1904-1957

Hoje apresentamos três documentos fotográficos do tempo em que os carros eléctricos circulavam até à Vila Velha, terminando mesmo ao lado da Igreja de São Martinho.
De 31 de Março de 1904 até ao final do Verão de 1957, circulando pela Volta do Duche, os eléctricos operavam nesta autêntica linha urbana, sacrificada em 1958 em nome do alargamento da Volta do Duche e do “rei” automóvel que tudo trucida.





quinta-feira, março 29, 2007

Eléctricos e os jornais para a Praia


Hoje apresentamos uma curiosa foto de Setembro de 1967.
Na primeira carreira da manhã, que partia de Sintra às 7.58, eram transportados os vários maços de jornais para os quiosques da Praia.
Podemos observar esses maços no banco de trás do atrelado.

segunda-feira, março 26, 2007

Eléctricos com propaganda política

Agosto de 1974

Hoje apresentamos mais um extraordinário testemunho fotográfico sobre os “nossos” carros eléctricos.
Cedida por Valdemar Alves, nesta fotografia de Agosto de 1974 é perfeitamente visível a inscrição “PPD” no eléctrico motor desta composição que chegava à Ribeira de Sintra, a caminho da Praia das Maçãs, como sempre cheia de passageiros.
Quatro meses depois do 25 de Abril, a propaganda política era colocada em todos os sítios e locais, mesmos os mais inadequados, neste nova fase de Portugal e, os eléctricos de Sintra também não fugiram à regra.
A 15 de Setembro desse ano os eléctricos funcionaram pela última vez até Sintra, antes da longa interrupção que durou até 2004, se bem que ainda não vá até à estação da CP.




sábado, março 24, 2007

Eléctricos de Sintra e o excesso de lotação



Como é óbvio, os carros eléctricos possuem a sua lotação oficial que certamente não é a que estas fotos mostram.
Realmente, falando com funcionários dos eléctricos mais antigos, uma das situações que é frequentemente referida eram as autênticas avalanches de passageiros que os eléctricos transportavam para a Praia das Maçãs e de regresso a Sintra, muitas vezes colocando em perigo a integridade física de passageiros e funcionários.
Reparem na primeira foto, do autêntico jogo de equilibrismos que o cobrador (situado na parte de trás do eléctrico) faz para fazer o seu trabalho.
Tempos antigos e de grande dureza de trabalho.
Eram outros tempos que obviamente hoje não são permitidas estas situações.

quinta-feira, março 22, 2007

Eléctricos de Sintra – 1965

Hoje publicamos mais duas fotos dos idos anos 60, mais uma vez obtidas por um cidadão inglês: Ron Phillips numa das suas passagens por Portugal, neste caso no Verão de 1965.
A primeira o eléctrico obtida na Estrada Banzão-Praia das maçãs e a segunda obtida na zona do Casal da Nora.

terça-feira, março 20, 2007

Autocaro Panhard – 1952


Nos idos anos 50, qualquer empresa de camionagem tinha na sua frota uma miscelânea de marcas de autocarros que certamente faria as delícias dos apaixonados por esta temática que existe actualmente.
Muitas marcas dos mais diversos países, com diferentes modelos e diversas carroçarias.
Somente a partir de finais dos anos 50 é que se vai assistir à uniformização de marcas com o quase monopólio dos AEC.
A Companhia Sintra-Atlântico não fugia à regra.
Quando a foto de hoje foi obtida, a Sintra-Atlântico possuía autocarros Ingleses (Vulcan), Holandeses (Daf), Americanos (Ford, Chevrolet e Dodge), Alemães (Mercedes, Blitz e Bussing) e Franceses (Citroën e Panhard).
O autocarro da foto de hoje era uma Panhard. Número de frota 10, matricula de 1951. Foram adquiridas duas em 1951 (números 10 e 11).
Aqui na fantástica cor amarelo e encarnado, com o lindíssimo emblema referido num post da semana passada. Até à chegada dos luxuosos autocarros Maudslay, os Panhard’s faziam frequentemente a carreira mais longa da Sintra-Atlântico entre as Azenhas do Mar e Lisboa (Rua da Glória, junto aos Restauradores).
A fotografia foi obtida na berma da estrada Praia das Maçãs-Azenhas do Mar.
Esta Panhard não teve vida longa, pois foi abatida ao serviço e desmanchada para a sucata em 1963.

sexta-feira, março 16, 2007

Carros Eléctricos - Três anos de diferença

Versão Azul – 1960

Versão Vermelho – 1963



Três anos separam as nossas fotos de hoje, ambas tiradas na Praia das Maçãs.
Três anos com uma grande diferença nos nossos eléctricos.
Do azul, que o público nunca gostou, ao vermelho que ainda hoje ostentam.
A publicidade à Phillips que os eléctricos começaram a exibir em 1960, continuava em 1963 e haveria de continuar até final da década de 60.

quarta-feira, março 14, 2007

Sintra-Atlântico - 1951

Hoje voltamos aos autocarros, para falarmos de uma pintura lindíssima que a administração de Ricardo Rebelo Capela colocou nos autocarros.
Na verdade, como já foi dito no post de 26 de Fevereiro esta administração pretendeu acabar com os carros eléctricos, adquirindo um grande lote de autocarros nos anos de 1951 e 1952.
Se, felizmente, quanto ao fim dos carros eléctricos, não levou por diante a sua pretensão, nos autocarros foi extremamente feliz nas suas pinturas, com a aparecimento de um emblema lindíssimo nas partes laterais dos mesmos.
Neste emblema, desenhados manualmente, aparecia o Palácio da Pena e o nome da Companhia. Os autocarros eram pintados de amarelo com faixas a vermelho. Não existem certezas se todos os autocarros adquiridos em 1951 e 1952 receberam este emblema.
Conta quem os viu, que eram lindíssimos.
Infelizmente, com a mudança das cores da Sintra-Atlântico, ocorrida em 1955 e 1956 estas cores desaparecem, assim como o emblema, sendo toda a frota de autocarros e eléctricos pintados de azul e branco.



São Pedro de Sintra (Jardim da Vigia). Quando foi criada a carreira Sintra (Estação)-São Pedro a partir de 1 de Maio de 1932, os autocarros transitavam por este local.




sexta-feira, março 09, 2007

Ribeira de Sintra - 1969-1973

Para terminar esta nossa viagem à Ribeira em tempos idos, hoje apresentamos 3 fotos pós demolição do Matadouro.
A primeira foi retirada do Jornal de Sintra de 15 de Novembro de 1969, onde se pode observar as obras de alargamento desta zona.
Portanto, o matadouro foi demolido talvez nesse ano ou no ano anterior.
A segunda, foi tirada também em 1969, mas tem um elemento principal, o eléctrico aqui dirigindo-se para a Praia das Maçãs, no momento em que passava em frente ao chafariz.
A terceira foto, de Agosto de 1973, já com o largo com o conhecemos actualmente (pelo menos parecido).
Tem a particularidade de se observar (não na sua plenitude) o autocarro Atkinson, já aqui falado em comentários num post anterior. Estas duas fotos (segunda e terceira) foram “descobertas” na Alemanha através da internet por Valdemar Alves, tendo adquirido os direitos sobre as mesmas.


RIBEIRA DE SINTRA- 1969


RIBEIRA DE SINTRA – Verão de 1969

RIBEIRA DE SINTRA- Agosto de 1973. O autocarro que se observa nesta foto é o nº 29 da Sintra-Atlântico. Atkinson com a sua 2º Carroçaria de 1966 construída pela Martins & Caetano em Vila Nova de Gaia. Matricula GE-20-04.

quinta-feira, março 08, 2007

Ribeira de Sintra - Principio do século XX (entre 1904 e 1906)

Hoje continuamos na Ribeira de Sintra para a divulgação de um documento extraordinário.
Última aquisição de Valdemar Alves, esta excelente fotografia, apesar de exibir alguns pontos de humidade, mostra a zona da Ribeira e toda a encosta até Sintra, Palácio da Pena e Castelo dos Mouros.
Observe-se toda a zona ainda despida de arvoredo.
Na segunda foto; uma ampliação da primeira; é visível a linha do eléctrico, respectivos postes da rede aérea e os plátanos ainda pequeninos.
Já se podem observar algumas construções que ainda aqui existem.
De referir que esta estrada foi concluída em 1902 sendo arborizada também por essa altura.

RIBEIRA DE SINTRA- 1904-1906



PORMENOR DA FOTOGRAFIA ANTERIOR

terça-feira, março 06, 2007

Ribeira de Sintra - Anos 50 e 60 (antes da demolição do matadouro)

Hoje continuamos na Ribeira de Sintra.
O regular visitante e colaborador deste blog, P. Domingos, a propósito do post de 6ª feira, referiu que toda a zona em frente das antigas instalações dos eléctricos e autocarros era muito estreita, em virtude da existência dos edifícios do antigo matadouro, situado no lado direito, sentido Sintra-Praia.
As fotos seguintes mostram como era toda esta zona antes da demolição do matadouro, circulando os poucos automóveis da época e outras viaturas, por cima da linha.
Na primeira foto, tem-se uma perspectiva de toda a zona e de como a Sintra-Atlântico cresceu ao longo dos anos, com a construção de casas para o pessoal, edifícios de apoio à garagem dos eléctricos, entre outras grandes realizações, fruto do dinamismo de Camilo Farinhas nos anos 30 e 40. Um dos autocarros (o primeiro) é uma Vulcan e o de trás não consigo identificar.
Na segunda foto pode ver uma composição constituída pelo carro motor 3 e atrelado 12, dirigindo-se para a Praia no dia 23 de Julho de 1964. Vê-se também o tejadilho de uma DAF.
A casa que se vê no lado esquerdo foi ampliada e do mesmo lado, logo a seguir à curva estava e está, o café e mercearia Salvador, sendo porém explorado por outro proprietário.

RIBEIRA DE SINTRA- 1952


RIBEIRA DE SINTRA- 23 de Julho de 1964

sexta-feira, março 02, 2007

Ribeira de Sintra 1951


Hoje “viajamos” até à Ribeira de Sintra, com a publicação desta magnífica foto de Alexandre Granja de 1951, primeiros tempos da administração de Ricardo Rebelo Capela, o administrador que apostou tudo nos autocarros em detrimento dos carros eléctricos e realmente, a foto é sintomática.
Na Ribeira de Sintra “casa” dos eléctricos, só se observam autocarros.
Da esquerda para a direita, o Ford BE-11-42 de 1941(nº de frota 7), o Vulcan GG-16-05 de 1949 (nº de frota 12).
O carro ligeiro era propriedade de Ricardo Rebelo Capela. Era um Hudson, matricula GH-14-13 de 1948.


quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Autocarro Maudslay ,o mais bonito autocarro da Sintra-Atlântico

Com cumprimentos de Valdemar Alves ao regular visitante deste blog, P. Domingos, que relativamente ao post passado dia 5 deste mês, refere que o autocarro dessa fotografia teve uma carroçaria anterior o que corresponde completamente à verdade.
O autocarro é modelo inglês de 1951, foi recepcionado na Alfândega de Lisboa no Jardim do Tabaco a 12 de Setembro de 1952 e teve o primeiro registo em Portugal a 2 de Outubro de 1952 em nome de Eduardo Veríssimo da Costa.
A 13 de Julho de 1953 passou para o nome da Sintra-Atlântico, tendo sido atribuído o nº 21.
A sua matrícula era o AF-18-86, tinha uma lotação de 41 passageiros, tendo sido pintando em vermelho e amarelo.
Juntamente com outro Maudslay (o nº 20), eram os autocarros mais luxuosos da Companhia, sendo usados em excursões e na carreira entre as Azenhas do Mar e Lisboa.
Nestas fotos tiradas no Verão de 1963 pode-se ver este autocarro de frente e traseira, estacionado na Ribeira de Sintra.
Reparem na beleza da parte frontal.
Uma autêntica obra de arte toda a carroçaria e, então os cromados, são um espanto!
As fotos são de Andrew Johnson e são as únicas até agora conhecidas deste autocarro, com a carroçaria original.
Já foi descoberta outra que Valdemar Alves está a tentar, através de amigos, trazer para Portugal.
Em Dezembro de 1963 esta carroçaria foi destruída na Ribeira de Sintra e a 18 desse mês, somente o chassis foi pelos próprios meios até às instalações da UTIC em Cabo Ruivo, onde recebeu uma nova carroçaria que já pode ser vista na foto do referido post do dia 5.
Felizmente que houve estrangeiros que fotografaram tudo (eléctricos, autocarros, comboios, troleicarros), património que este País não pode ou não quis preservar.
A todos eles um grande agradecimento.

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Autocarro DAF da Sintra-Atlântico

















Especialmente dedicada ao regular visitante deste blog, P. Domingos, aqui está uma magnifica foto de 1963 de uma DAF estacionada na estrada para as Azenhas do Mar.
Este é o autocarro nº 17 da Sintra-Atlântico e fez parte de um conjunto de 4 autocarros desta marca holandesa que a Companhia adquiriu em 1951.
De referir que, quando a Sintra-Atlântico foi comprada em Julho de 1951 por um grupo de industriais alentejanos e passou a ter como administrador-delegado Ricardo Rebelo Capela, uma das primeiras medidas foi a compra de um conjunto de novos autocarros que tinha como fim a substituição integral dos carros eléctricos.
Esta pretensão não foi totalmente concretizada, por um lado em virtude da forte oposição das gentes de Sintra até à Praia das Maçãs e por outro lado, o enorme investimento que era necessário fazer com a compra de novos autocarros, pois segundo estudos da época, só para substituir os eléctricos no Verão, eram necessários 14 autocarros.
Assim, avançou uma proposta intermédia de os eléctricos passarem a funcionar somente nos meses de Verão, solução posta em prática a partir de 1953.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Praia das Maçãs - Verão de 1963

















Magnífica fotografia de 1963 do terminal dos carros eléctricos na Praia das Maçãs.
Fotografia tirada ao início da tarde de um domingo do Verão de 1963. Muitos eléctricos (3 carros motores e 3 atrelados) e o autocarro da Sintra-Atlântico para as Azenhas que fazia a ligação com os carros eléctricos.
Os anos 60 foram um dos períodos áureos dos eléctricos de Sintra.
Por exemplo, neste ano de 1963, funcionando de 15 de Julho a 30 de Setembro, o serviço era intensíssimo, principalmente aos domingos.
Da Estação de Sintra para a Praia das Maçãs efectuavam-se 42 circulações, com partida da primeira às 7.10 e a última às 21.32 e da Praia para Sintra efectuavam-se também 42 circulações, sendo a primeira às 7.45 e a última às 22.06 que chegava a Sintra já bem noite (às 22.53).
Mesmo com todas estas circulações os eléctricos tinham dificuldade em transportar todos os passageiros.

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Praia das Maçãs Junho de 1973

A 7 de Junho de 1973, quando ainda os carros eléctricos não estavam em funcionamento, um grupo de apaixonados ingleses veio até Sintra e alugou um carro motor com atrelado para efectuar uma viagem até à Praia das Maças, regressando depois a Sintra.
Viagem profusamente fotografada por alguns desses ingleses, do qual aqui se publica uma fotografia
Aqui está a Adega Oceano, o Búzio e, 20 anos depois do seu encerramento, ainda os carris da antiga linha para as Azenhas do Mar.Resta dizer que este grupo de apaixonados pelos nossos eléctricos não tiveram sorte com o tempo, pois nunca conseguiram ver o sol durante a sua visita.

sábado, fevereiro 17, 2007

Banzão e os carros eléctricos Parte 3

Hoje chegamos a 1938, ano em que foi inaugurada a nova estação do Banzão que todos nós conhecemos.
Mais uma das grandes obras da administração de Camilo Farinhas, possuía todas as comodidades para público e funcionários. Com dependências para recepção e despacho de mercadorias, sala de espera, escritório, bar e casas de banho.
Foi inaugurada a 14 de Agosto de 1938 e foi dado o nome de “Colares-Central”.

Banzão em Agosto de 1938.
Fotografia publicada no jornal “Diário de Lisboa” de 13 de Agosto de 1938


Banzão em 1952. O autocarro que se vê a descer a Avª do Atlântico é o nº 6 da Sintra-Atlântico, Chevrolet de 1935.



Ampliação da foto anterior com o autocarro Chevrolet e pormenor de algumas dependências do Banzão.

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Banzão e os carros eléctricos Parte 2

Neste postal de 1926 pode-se observar do lado esquerdo, à frente dos eucaliptos, o edifício da estação do Banzão e já o edifício das Caves Visconde de Salreu que domina da paisagem.
No interior deste edifício está uma das curiosidades da linha dos eléctricos de Sintra. Um pequeno ramal construído propositadamente para servir estas caves de forma a tornar mais fácil o transporte das pipas do vinho para a estação de Sintra, donde seguiam para todo o mundo.
Numa carta datada de 24 de Fevereiro de 1920, dirigida ao director da Sociedade Estoril, à época proprietária dos eléctricos de Sintra e, assinada pelo próprio Visconde de Salreu, é solicitado “o favor de mandar assentar com a possível brevidade, o troço de carris no prolongamento do desvio atraz da estação do Banzão, no eléctrico da Praia das Maçãs, do qual eu careço para serviço particular das minhas Caves em construcção no mesmo local”. Solicitava ainda que fizesse o “favor de me informar da respectiva despeza para eu satisfazer”.


Estação dos eléctricos, Caves Visconde de Salreu e Estrada para o Mucifal.
Alguém sabe alguma coisa dos outros edifícios?

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Banzão e os carros eléctricos

Nos eléctricos de Sintra, o Banzão sempre desempenhou um papel de extrema importância.
Aqui, foi construído em 1904 um edifício em madeira que se destinada a estação de despacho de mercadorias e de espera dos passageiros. Este edifício era muito parecido a nível estético com o existente no interior da estação da CP de Sintra e demolido por alturas da renovação desta estação nos primeiros anos da década de 1990. Voltarei nos próximos dias a falar do Banzão, pois há outros factos a contar
Banzão em Março de 1937. Ao fundo do lado esquerdo, o barracão da estação. Observa-se ainda uma vagoneta do transporte de mercadorias.
Uma curiosidade desta foto, é que já existia (e com uma envergadura apreciável) o pinheiro do Banzão que foi referido no post do passado dia 5.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Eléctricos pintados de Azul - Setembro de 1960

Hoje voltamos aos eléctricos com uma magnífica fotografia do terminal dos eléctricos na Praia das Maçãs, num final de tarde de Setembro de 1960.
Entre 1955 e 1962 os carros eléctricos abandonaram o tradicional amarelo e “passearam-se” em tons de azul que não foi do agrado da população e, em 1963 mudaram novamente de cor, não para o amarelo mas sim, para o vermelho.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Vista aérea da Praia das Maçãs – Anos 60


Hoje apresentamos uma fotografia publicada no Boletim da Comissão Municipal de Turismo de Sintra, em 1968, mostrando uma parte da Praia das Maçãs vista do ar.
Lá no fundo, junto à Adega Oceano lá estão os carros eléctricos, sinal que a foto foi tirada durante o Verão.

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

O “saudoso” pinheiro do Banzão


Alguém se lembra do enorme pinheiro que existiu no Banzão, mesmo em frente da estação dos carros eléctricos?
Não sei o que aconteceu ao certo, mas penso que secou.
Hoje no mesmo local, está uma amostra de árvore que nunca mais cresce ou não a deixam crescer.
Nesta foto obtida no Verão de 1965, pode-se observar um autocarro da Companhia Sintra Atlântico dirigindo-se para as Azenhas do Mar, passando precisamente em frente do pinheiro.
Observem a beleza desse pinheiro.
Obviamente não existia o edifício do banco “perfeitamente enquadrado” com o local, que aqui foi construído muitos anos mais tarde.
Para complemento, o autocarro da foto é o nº28 da frota da Sintra-Atlântico, marca “Maudslay”, de 1951.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Praia das Maçãs e as Corridas de Automóveis - 1962


Como ontem disse, os banhistas estavam a ver a prova.
É só observar esta foto, com todo o “pessoal” acompanhando, neste caso, o concorrente nº 32 conduzindo um MG.

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Praia das Maçãs e as Corridas de Automóveis - 1962


Na Praia das Maçãs também já se efectuaram, por diversas vezes, corridas de automóveis.
Aqui está um testemunho fotográfico do VII Grande Rally de Sintra que decorreu em Maio de 1962.
Na foto, está o concorrente nº 13 conduzindo um Volvo.
Apesar de ainda ser Maio, na praia já está colocada a bandeira (vermelha ou verde), pois o tom é escuro. Banhistas é que não havia.
Estavam a ver a prova. Amanhã, provo esta minha afirmação.