Follow by Email

terça-feira, maio 01, 2007

SINTRA – 1 de Maio de 1974

Há 33 anos quando se festejou pela primeira vez o 1º de Maio em liberdade, também houve comemorações em Sintra.
Aqui ficam duas fotografias de Carlos Granja do desfile que começou na Vila Velha, seguiu pela Volta do Duche, Avª Miguel Bombarda, Heliodoro Salgado, chegou onde existe actualmente aquela “coisa” a que chamam fonte monumental (?), junto ao terminal do eléctrico, subiu novamente a Avenida Heliodoro Salgado, virou para São Pedro e depois para a Avª MFA (que se chamava Frederico Ulrich) e terminou na Portela de Sintra.
Fotografias cheias de história, do único 1º de Maio onde houve autêntica união entre todos os trabalhadores. Depois…. os partidarismos falaram (e falam) mais alto.

(Texto de Valdemar Alves e fotografias de Carlos Granja, propriedade da CMS-AHS. Cópias da Colecção de Valdemar Alves).



O desfile na Avenida Miguel Bombarda. Lá estavam os carris dos eléctricos, onde nesse ano circulariam pela última vez. O autocarro que se observa era o nº 17 da Empresa de Viação Gaspar, marca “Mack”.


O desfile subindo já a Avenida Heliodoro Salgado, em frente onde é hoje a Caixa Geral de Depósitos.

4 comentários:

kuskho disse...

Descobri hoje o seu blog e estou a adorar. Vim cá calhar devido à minha procura incessante de fotos antigas da Praia da Maças e zona envolvente e tendo hoje lá ido e estado no Chitas a observar aquelas belas fotos de outrora, o seu blog, de facto nao podia ter sido melhor complemento ao meu dia. Parabéns e continue.

estupefacto disse...

Então acabaram-se as fotografias? Vamos lá a publicar mais s.f.f. Gosto imenso de fotos e factos antigos. Nada de desistir

José Cavalheiro disse...

Lembro-me desta manifestação.
Mas, estava na maior de todas.
Estava a entra no Estádio da FNAC, actual estádio 1º de Maio, em Lisboa.
Estava a viver os últimos meses dos meus 20 anos, em Julho iria para a tropa, em Leiria.
Foi de certo lá e cá um dia memorável.
Único mesmo.
Não houve outro igual, depois começou o partidarismo, acabou a doçura da revolução.
Possivelmente também tive culpas nesse acabar da candura da Revolução dos Cravos.
Acabei com as útopias que me avassalaram nestes tempos memoráveis no 25 de Novembro, como militar do Regimento de Policia Militar.
Fiquem bem.

Anónimo disse...

a camara de sintra devia ter vergonha o electrico esteve parado devido ás chuvas e ao fim de 1 mes puseram o electrico a circular só ate á ribeira. se isto é apoiar o turismo eu sou o papa