Follow by Email

terça-feira, março 06, 2007

Ribeira de Sintra - Anos 50 e 60 (antes da demolição do matadouro)

Hoje continuamos na Ribeira de Sintra.
O regular visitante e colaborador deste blog, P. Domingos, a propósito do post de 6ª feira, referiu que toda a zona em frente das antigas instalações dos eléctricos e autocarros era muito estreita, em virtude da existência dos edifícios do antigo matadouro, situado no lado direito, sentido Sintra-Praia.
As fotos seguintes mostram como era toda esta zona antes da demolição do matadouro, circulando os poucos automóveis da época e outras viaturas, por cima da linha.
Na primeira foto, tem-se uma perspectiva de toda a zona e de como a Sintra-Atlântico cresceu ao longo dos anos, com a construção de casas para o pessoal, edifícios de apoio à garagem dos eléctricos, entre outras grandes realizações, fruto do dinamismo de Camilo Farinhas nos anos 30 e 40. Um dos autocarros (o primeiro) é uma Vulcan e o de trás não consigo identificar.
Na segunda foto pode ver uma composição constituída pelo carro motor 3 e atrelado 12, dirigindo-se para a Praia no dia 23 de Julho de 1964. Vê-se também o tejadilho de uma DAF.
A casa que se vê no lado esquerdo foi ampliada e do mesmo lado, logo a seguir à curva estava e está, o café e mercearia Salvador, sendo porém explorado por outro proprietário.

RIBEIRA DE SINTRA- 1952


RIBEIRA DE SINTRA- 23 de Julho de 1964

5 comentários:

José Cavalheiro disse...

Simplesmente genial ......
Que recordação1
Pois a estrada era a mesmo para carros, poucos, e electricos.
Continuem a mostrar essas recordações.
Fiquem bem

Anónimo disse...

Ainda por lá passavam as carroças e os burros (simples, com "Albarda") a caminho de Sintra ...e não só!
Também estou apanhado pelas fotos.

P Domingos

Anónimo disse...

Na foto de cima, no lado esq junto ao poste de alata tensão ainda está lá o prédio da taberna existente

P Domingos

Anónimo disse...

A camioneta que está por detrás da Vulcan não será uma PANHARD??

P Domingos

Paula Correia disse...

Por acaso, alguém sabe dizer-me onde pára a colecção de Valdemar Alves? Obrigada